top of page
  • Marcelo Salles Pereira

Esforça-te e tem bom ânimo

Essa é a ordem de Deus para Josué antes deste liderar o povo de Israel até a terra prometida.



Texto de referência:

Esforça-te e tem bom ânimo, porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.

Tão somente esforça-te e tem mui bom ânimo para teres o cuidado de fazer conforme toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares.

Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás.

Não to mandei eu? Esforça-te e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo, por onde quer que andares.

Josué 1:6-9


Sumário



Introdução


Todos passamos por situações em nossas vidas que podem nos levam a sentimentos de depressão, ansiedade, desgosto etc.

Esses sentimentos crescem dentro de nós, seguindo o que nossos pensamentos estão ditando. Se temos pensamentos ruins em determinada situação, então nossos sentimentos e atitudes acompanharão esses pensamentos.

Em algumas dessas situações, pessoas à nossa volta percebem que algo está errado e tentam nos ajudar. Elas falam conosco tentando nos incentivar a sairmos daquela situação. Elas tentam nos dizer para sermos fortes e corajosos, mas nossa mente não acredita ou não aceita o que estão dizendo.

Só conseguimos sair daquela situação quando nossos pensamentos se acalmam e conseguimos voltar a pensar de forma ordenada e coerente. É necessária uma atitude ativa de nossa parte. Se continuarmos aceitando nossos pensamentos de forma passiva, continuaremos sendo afetados pela situação.

Infelizmente, muitos ficam passivos e terminam por sofrer algum tipo de ataque no sistema nervoso e só melhoram através de medicação, que muitas vezes afetam a pessoa negativamente de alguma outra forma.

Esse texto nos mostra que quem está incentivando Josué não é uma pessoa semelhante a ele, que tem problemas semelhantes e que, mesmo sendo bem-intencionada, não tem a sabedoria necessária para ajudar. Neste texto Josué está sendo incentivado pelo próprio Deus, que certamente é o ser mais sábio que existe.

Vamos ver como o Senhor fez isso e como esse entendimento pode nos ajudar.


O Contexto


Moisés, o maior líder da história de Israel tinha morrido e foi sepultado num vale na terra de Moabe. O povo pranteou a morte de Moisés por trinta dias e, finalizado esse período, a palavra de Deus nos informa que Josué foi cheio do espírito de sabedoria porque antes de morrer Moisés lhe impôs as mãos.

Por causa disso, o povo passou a dar ouvidos a Josué. Isso tudo está no capítulo 34 do livro de Deuteronômio.

O texto de referência que vamos usar é a sequência dos eventos de Deuteronômio.

Agora, o Senhor veio falar com Josué.

A primeira coisa que Deus diz é sobre Moisés: “Moisés, meu servo é morto”. Deus honra seus servos.

Depois, Ele diz a Josué para que este se levante e passe o Jordão com o povo. Deus não chama preguiçosos. É necessário que aquele a quem Ele chama esteja de prontidão, esteja em pé para agir.

O Senhor continua falando e agora Ele faz promessas a Josué: ele promete que Israel vai ter todas as terras onde a planta do pé de Josué pisar. Ele promete que ninguém poderá resistir a Josué porque o próprio Deus estará com ele.

Depois dessas promessas é que o Senhor ordena a Josué para que este se esforce e seja corajoso.


Esforçar-se E Ter Bom Ânimo


O dicionário Strong diz o seguinte a respeito da palavra “esforçar” no hebraico, que é “khaw-zak”:

“Fortalecer, prevalecer, endurecer, ser forte, tornar-se forte, ser corajoso, ser firme, ser resoluto, ser persistente”.

Quanto à palavra ânimo que hebraico é “aw-mats”:

“ser forte, alerta, corajoso, bravo, resoluto, audacioso, sólido, duro”.

Como praticamente todos os verbos, esses dois trazem ações em seus significados. Podemos notar também que os significados são bem parecidos, mesmo sendo palavra diferentes. Talvez, a ideia fosse realçar o que Josué precisaria fazer ou se tornar para conseguir liderar Israel.

Quando o Senhor diz para Josué se esforçar e ser corajoso, Ele está dizendo para Josué agir; agir no sentido de se tornar forte e corajoso, de ser firme, persistente, resoluto, ou seja, ele não poderia desistir no meio do caminho.

Talvez por isso, o Senhor repete por três vezes essas palavras. A tarefa de Josué seria árdua, difícil. Deus o chamou para fazer com que o povo herdasse a terra que o Senhor prometeu a seus antepassados. Era uma grande responsabilidade. Precisamos dizer que essa promessa estava condicionada à obediência de Josué. O Senhor realça isso nos versículos sete e oito.

Nem precisamos dizer o quão importante é sermos obedientes ao Senhor, principalmente aqueles que têm um chamado dEle. Fazer algo para Deus sem ter um chamado, ou pior, tendo um chamado, mas fazendo de qualquer jeito, sem obedecer ao que o Senhor ordenou, não é muito inteligente. Quando essa pessoa chegar em frente ao Senhor Jesus, ele dirá: não te conheço, nunca te conheci.

Outra coisa que podemos observar nesses versículos é que o Senhor estava demonstrando sua confiança em Josué. Tudo o que o Senhor disse foi para que Josué tivesse confiança e entendesse que era a pessoa certa para liderar Israel. É provável que naquele momento Josué se fortaleceu e teve coragem para continuar em frente nessa tarefa.

O Senhor capacita aqueles que Ele chama para sua obra. Ouvimos muito isso na igreja, mas quando é conosco vemos apenas nossas falhas e fraquezas e não conseguimos seguir em frente. Fracassamos quando olhamos para nós mesmos e não para o Senhor. Nunca seremos fortes ou corajosos o suficiente se nos ampararmos em nós mesmos, mas se lembrarmos de que o Senhor prometeu estar com Josué para que ele conseguisse cumprir seu chamado, então podemos crer que Ele também estará conosco para que possamos cumprir nosso chamado. Deus não vai desamparar aquele que Ele chamou. Ele é fiel!


Não devemos fazer nada?


Hoje ouvimos muito isso: Entregue tudo a Deus e esqueça. Bem, será que é isso mesmo que devemos fazer?

Quando olhamos para a palavra de Deus, Ele está sempre incentivando seus servos para se levantarem e fazerem algo.

Realmente, Ele não precisa de nós para nada, mesmo assim Ele nos ordena para agirmos, porém isso não deve ser feito de qualquer maneira. Sempre será necessário agirmos em obediência ao que Ele ordenou.

No Novo Testamento vemos muita ação dos discípulos e depois dos apóstolos.

Paulo pregou a Cristo nas prisões. Com Silas estavam louvando numa prisão quando aconteceu um terremoto e abriu as células da prisão.

Quando preso, Pedro teve que se levantar e sair em obediência à ordem do anjo.

Felipe teve que se levantar e ir até o local em que estava o eunuco etíope. Depois ele foi levado para outro lugar para continuar a pregar.

Pedro teve que se levantar e ir até a casa do centurião Cornélio em obediência à ordem de Deus. Lá ele pregou e o Espírito Santo desceu sobre os gentios também.

Ananias teve de confiar e obedecer ao Senhor quando este o mandou ir curar a Paulo.

Veja que Deus poderia ter feito tudo isso sozinho, mas no reino dEle não é assim que funciona.


A parábola dos talentos


Nesta parábola, Jesus fala a respeito de um senhor que entrega seus bens a três servos.

Para o primeiro ele entrega 5 talentos, para o segundo dois talentos e para o terceiro um talento. Essa divisão foi feita segundo a capacidade de cada um, ou seja, cada um deles era capaz de aumentar esses talentos.

O que acontece em seguida é que os dois primeiros agem. Eles conseguem duplicar os talentos que lhe forma entregues. O terceiro apenas enterra o talento que recebeu, ou seja, ele não agiu.

Na volta do senhor desses servos para prestar contas, os dois primeiros são elogiados, porém o terceiro é repreendido e perde até o talento que ele tinha.

Notamos a necessidade de agirmos quando estamos no reino de Deus.


Então, somos necessários?


Alguém pode pensar que se Deus nos chama para agir, então somos necessários para que o reino dEle se estabeleça na terra.

Bem, na verdade não. Paulo diz aos judeus que o Senhor poderia gerar das pedras filhos a Abraão. Dessa forma, não adiantava nada aos judeus serem orgulhosos de serem descendentes de Abraão.

Penso que devemos sempre nos lembrar que Deus é onipotente. Ele pode fazer qualquer coisa, até destruir todo esse universo e reconstruí-lo do zero, porém esse não é o plano dEle, senão Ele já teria feito.

Hoje, sabemos que o plano de Deus é que todos quantos forem chamados sejam salvos em Jesus Cristo. É o plano da redenção.

Realmente, da mesma forma que aquele servo da parábola dos talentos não serviu para nada e o senhor dele retirou o seu talento e entregou a outro que agia, nosso Senhor também pode retirar de nós algo que temos e entregar para alguém que vai agir. Neste mundo não faltará pessoas de ação. Vemos muitos por aí. Por isso, tomemos cuidado para não perdermos aquilo que o Senhor nos entregou.


Orgulhoso, eu?


Infelizmente, vemos algumas pessoas que estão agindo na obra de Deus, levando muitos a Cristo, mas que no caminho começam a achar que eles são muito importantes por causa de tudo aquilo que já fizeram. Esses, em geral, se tornam orgulhosos.

Nem precisaria falar o quanto que isso é perigoso. Se alguém está sendo usado por Deus, essa pessoa precisa se lembrar que é o Senhor quem faz as coisas através dele; ele é apenas um instrumento. O perigo é quando essa pessoa chegar em frente a Cristo e ouvir dEle: não te conheço, nunca te conheci.

Dois discípulos de Jesus queriam saber se poderiam sentar-se um à direita e outro à esquerda dEle em seu reino e a resposta foi que quem quer ser grande terá que servir aos outros. Arrogância e orgulho não têm lugar no reino de Deus.

O que é necessário é ter humildade para reconhecer que sem o Senhor nada podemos fazer de bom.


Líderes que agem


O chamado de Deus para Josué ser o líder do povo foi um chamado para a ação.

Alguém consegue imaginar um líder que não aja? Bem, talvez alguém tenha líderes na igreja, na família, na empresa que não têm agido, mas no reino de Deus isso não funciona. Na verdade, não funciona em lugar algum. Um líder precisa agir senão as coisas não vão para frente, não evoluem.

Josué teria que partir para a ação e fazer tudo conforme o que estava escrito no livro da Lei.

A questão aqui é que o líder não deve agir de qualquer jeito. Ele está limitado às ordens do Senhor.

Vejamos Moisés no evento da rocha que daria água para o povo de Israel.

A Bíblia relata dois eventos desses. No primeiro, o Senhor diz a Moisés para ele ferir a rocha e ele obedece. Tudo bem aqui.

No segundo, o Senhor ordena que ele fale com a rocha, mas ele a fere. Nada bom aqui. Por causa dessa desobediência, Moisés não continuou a liderar o povo para entrar na terra prometida.

Um líder chamado por Deus deve sempre ter em mente que essa posição de liderança traz muita responsabilidade e que ele está sendo visto e ouvido por várias pessoas, sendo exemplo para elas. Deus vai cobrar desse líder a forma de sua ação.


E eu que não sou líder de nada?


Será que realmente não somos líderes de algo?

Pense bem nisso. No mínimo somos líderes de nossas próprias vidas. Assim, como temos agido na liderança de nós mesmos?

Temos liderado nossa vida de uma forma que agrade a Deus?

Temos liderado nossa alimentação, nossa saúde física, nossa saúde mental, nosso relacionamento com Deus da forma correta?

Peço que cada um de nós pensemos a respeito disso e tomemos as ações necessárias para nos liderarmos em obediência às ordens do Senhor.


Josué, um líder obediente


Depois da ordem do Senhor, Josué vai diante do povo e dá ordens do que deveriam fazer dali em diante e o povo o ouve em tudo.

Josué estava forte e se sentia corajoso. Ele podia dar ordens ao povo e o povo via sua força e coragem.

Ele só se sentiu assim porque o Senhor o animou, o incentivou. O Senhor fez promessas e Josué sabia que as promessas do Senhor se cumpririam.

Josué sabia que, enquanto ele obedecesse ao Senhor, o Senhor o usaria e tanto ele quanto o restante do povo de Israel entrariam na terra prometida e a conquistariam.

No final de sua vida, Josué viu isso acontecer e fez um discurso lembrando o povo de todas as promessas cumpridas pelo Senhor. Ele ainda colocou diante do povo uma decisão que eles deveriam tomar: servir ao Senhor ou servir aos deuses da terra que eles conquistaram.

Josué foi além e disse que ele e sua casa serviriam ao Senhor. Ele deu o exemplo. Sua liderança e obediência ao Senhor foi um exemplo para o povo e este decidiu seguir ao Senhor.

Um líder obediente ao Senhor se torna um bom exemplo para o povo de Deus e se torna um incentivo para que esse povo também passe a obedecer ao Senhor.


Conclusão


Meus irmãos e irmãs, nos lembremos da obediência e liderança de Josué. Que ele sirva de exemplo para todos nós, não somente para os líderes na casa de Deus, mas para todos nós que temos de liderar no mínimo nossa própria vida.

Confiemos que o Senhor estará do nosso lado em todo tempo que o obedecermos e que isso seja o nosso incentivo para sermos fortes e corajosos.

Vamos agir conforme o que o Senhor nos tem ordenado para que as promessas dEle se cumpram integralmente em nossas vidas.

Que o Senhor te abençoe e te guarde!




24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page