top of page
  • Marcelo Salles Pereira

O Medo Dos Irmãos De José

Vejamos por que os irmãos de José sentiam medo do que ele poderia fazer contra eles.




A imagem mostra um erro que cometemos frequentemente. Transformamos coisas pequenas em maiores do que são. Essa é uma das consequências do medo.



Sumário

 

 

Texto De Referência

 

Gênesis 50:15-21 | NVI

 

¹⁵ Vendo os irmãos de José que seu pai havia morrido, disseram: "E se José guardar rancor contra nós e resolver retribuir todo o mal que lhe causamos? "

¹⁶ Então mandaram um recado a José, dizendo: "Antes de morrer, teu pai nos ordenou

¹⁷ que te disséssemos o seguinte: ‘Peço-lhe que perdoe os erros e pecados de seus irmãos que o trataram com tanta maldade! ’ Agora, pois, perdoa os pecados dos servos do Deus do teu pai". Quando recebeu o recado, José chorou.

¹⁸ Depois vieram seus irmãos, prostraram-se diante dele e disseram: "Aqui estamos. Somos teus escravos! "

¹⁹ José, porém, lhes disse: "Não tenham medo. Estaria eu no lugar de Deus?

²⁰ Vocês planejaram o mal contra mim, mas Deus o tornou em bem, para que hoje fosse preservada a vida de muitos.

²¹ Por isso, não tenham medo. Eu sustentarei vocês e seus filhos". E assim os tranqüilizou e lhes falou amavelmente.

 

 

Introdução

 

Todos sentimos medo de algumas coisas. Esses medos nos deixam ansiosos pelo que vai acontecer.

 

Alguns medos têm origem no passado, outros são motivados por coisas que ouvimos no presente e que nos deixam apreensivos pelo futuro.

 

A ansiedade é um mal que pode afligir a todos, inclusive aos que estão dentro da igreja. Ela nos leva a imaginar coisas ruins que vão nos acontecer e, se pararmos para pensar, a grande maioria nunca acontece.

 

Vejamos um medo derivado de algo que foi feito no passado, gerando ansiedade pelo que ia acontecer no futuro. Esse medo estava presente na vida dos irmãos de José.

 

 

O Medo Dos Irmãos De José

 

Aparentemente, os irmãos de José não aprenderam nada com tudo o que lhes tinha acontecido até ali.

 

Pensando que José ainda não tinha feito nada contra eles somente porque seu pai estava vivo e, após a morte do pai, imaginando que José poderia se vingar deles por quase tê-lo matado antes de vende-lo como escravo, eles ficaram com medo.

 

Neste caso o medo estava baseado em atos ruins que eles praticaram no passado. José tinha sido duro com eles nos primeiros encontros entre eles, mas José não fez nada que pudesse levá-los a pensar que poderiam receber algo de ruim.

 

Então, concluo que o medo estava relacionado com duas coisas:

 

- Primeiro, eles tinham peso na consciência por todo mal que tinham feito a José;

 

- Segundo, eles estavam atribuindo a José quem eles eram, ou seja, eles foram maus, logo José também iria retribuir com maldade.

 

Essas conclusões tinham a ver com quem eles eram e não com quem José era.

 

Muitas vezes atribuímos ações às outras pessoas baseadas em quem nós somos, sem considerar quem a pessoa é. Isso é algo inerente ao ser humano e que precisa ser mudado.

 

Se fizemos algo de ruim foi porque naquele momento estávamos com sentimentos ruins. Isso não quer dizer que a pessoa que sofreu nossas ações vai retribuir da mesma forma, entende?

 

O medo vem do fato de que fizemos algo ruim a alguém, logo, nossa conclusão é que merecemos receber algo de ruim da pessoa ofendida.

 

Pense nos momentos em que você fez algo contra alguém. O que você sentiu depois que se aclamou e pensou a respeito? Sentiu que merecia pagar por aquilo e que se a pessoa retribuísse o mal que você fez praticando o mal contra você ela estaria certa? Você ficou esperando que algo ruim acontecesse com você, como se alguma coisa estivesse à espreita?

 

Isso tudo é em decorrência de sua consciência e dos seus valores. Que bom que você se sentiu mal por ter feito algo de ruim, isso mostra que você tem os valores corretos, porém, que ruim que você continua esperando que algo aconteça com você por causa de um erro do passado.

 

Agora, depois dos primeiros encontros com José e depois deste ter se mostrado a eles,  José lhes disse:

 

“"Cheguem mais perto", disse José a seus irmãos. Quando eles se aproximaram, disse-lhes: "Eu sou José, seu irmão, aquele que vocês venderam ao Egito!

Agora, não se aflijam nem se recriminem por terem me vendido para cá, pois foi para salvar vidas que Deus me enviou adiante de vocês.” (Gênesis 45:4,5)

 

Veja que José já os tinha perdoado, pediu-lhes para não ficarem com medo e para que não ficassem com nenhum peso na consciência (se recriminassem), então, por que eles ainda tinham medo e este peso na consciência?

 

É porque eles não se perdoaram. Eles já tinham recebido o perdão daquele a quem eles tinham ofendido, mas eles ainda carregavam o peso daquilo que tinham feito.

 

Irmãos e irmãs em Cristo, quantos de nós ainda carregamos pesos em nossa mente relacionados com coisas que fizemos no passado? Será que isso é bom para nós? Será que devíamos continuar com esses pesos em nossa mente sobrecarregando nossas vidas e nos impedindo de termos uma vida de paz com Deus e com as pessoas à nossa volta?

 

Creio que todos sabemos a resposta.

 

Jesus veio retirar esse peso de nossas vidas e nos dar a paz. Ele sofreu nossas ofensas na cruz do calvário e pediu ao Pai para nos perdoar. É pelo sangue dEle que temos a certeza do perdão, pois o ofendido disse que estamos perdoados da mesma forma que José, o ofendido, perdoou seus irmãos, os ofensores.

 

Nos lembremos continuamente dessa história. Aprendamos com os irmãos de José que não devemos mais carregar o peso de nossos atos que já foram perdoados pelo Senhor.

 

Se fomos perdoados, então fomos perdoados e pronto.

 

 

Conclusão

 

Vimos neste texto que continuar a sofrer, continuar a carregar o peso de nossos atos que já foram perdoados por quem ofendemos só traz medo para nossas vidas.

 

Se continuarmos nesse caminho de medo vamos sempre ficar esperando pelo pior, quando na verdade Deus sempre nos prometeu o melhor e o melhor é o Senhor Jesus Cristo que morreu na cruz por nossos pecados e que ressuscitou para nos dar a vida eterna.

 

Vamos tirar esse peso de nossas vidas e lançar sobre o Senhor toda nossa ansiedade, pois Ele tem cuidado de nós (1 Pedro 5:7).

 

Que o Senhor te abençoe e te guarde!

 

 

Dica De Leitura

 

José - Príncipe do Egito

por Hernandes Dias Lopes

 


Os personagens da Bíblia são pessoas comuns, repletas de virtudes e fraquezas, sonhos e pesadelos, alegrias e tristezas. Eles têm histórias de vida que incluem amor e ódio, trabalhos e tramas, prosperidade e adversidade, aceitação e rejeição. A vida de “José do Egito” ― como é mais conhecido esse patriarca bíblico ― revela exatamente esse enredo, que também pode ser o retrato, em maior ou menor grau, da vida de muitas pessoas.

 

À luz da Bíblia, o aclamado expositor bíblico Hernandes Dias Lopes nos conduz a conhecer a história de José com profundidade e a extrair lições práticas para a nossa própria vida. Que em meio aos altos e baixos da nossa existência, possamos enxergar a mão poderosa de Deus nos guiando para os seus sublimes propósitos para a nossa vida e a de outros ao nosso redor.

 

Estudar sobre a vida de José é se matricular na escola superior do Espírito Santo e aprender aos pés de um grande líder, um homem que foi um perfeito tipo de Cristo no Antigo Testamento. Estou certo de que a leitura desta obra há de trazer luz à sua mente e santa alegria à sua alma. Que as páginas a seguir sejam um cardápio nutritivo e saboroso para alimentar seu coração com as iguarias divinas.



Manter este site exige tempo e recursos financeiros. Caso queira me apoiar, por favor, compre o livro acima pelo botão abaixo.




 


 

 


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Σχόλια

Βαθμολογήθηκε με 0 από 5 αστέρια.
Δεν υπάρχουν ακόμη βαθμολογίες

Προσθέστε μια βαθμολογία
bottom of page